Total de visualizações de página

26 junho 2013

O nosso tempo é hoje

Algo realmente grande está acontecendo quando um país como o Brasil reúne na rua, fora do estádio e protestando, o mesmo número de pessoas que estão assistindo ao jogo da seleção.
O assunto futebol caiu para quinto plano. Não está colando. A pátria tirou as chuteiras e foi pra rua.
Ontem, a TV Câmara ficou em 4º lugar em audiência durante votação da PEC 37. A TV Câmara é o negócio mais porre do mundo. A audiência recorde é o interesse das pessoas pela política. É impressionante!. Quem tentar reduzir isto não está entendendo nada, ou está "se fazendo" (como dizem meus alunos).

Enfadonhas as análises dos sociólogos e analistas de plantão da mídia. Opinião encomendada dá sono. Uns forçam a barra tentando partidarizar a indignação. Outros forçam a barra puxando o saco do patrão.
Os amigos do rei pensam controlar a vontade popular, e insistem em tentar desqualificar a inteligência das pessoas que se manifestam. Estão cavando a própria sepultura.
O PT e o PSDB poderiam se unir visando 2014, seria mais sincero. De qualquer forma, o bicho vai pegar para os dois.

A versão de que "a presidenta ouviu as ruas" ou "o Congresso ouviu as ruas" é risível: equivale a admitir que até ontem eles não ouviam rua nenhuma. Eles não "ouviram" nada, eles estão é borrados de medo, com o xx na mão. Todos sabiam muito bem o que precisava ser mudado. Mas pra que mudar se eu estou ganhando muito do jeito como está?

As ruas falam contra políticos, Justiça, policias. Nenhuma instituição é poupada. Ninguém se sente bem representado ou defendido, e há todos os motivos para se pensar assim. A Justiça é cara, lenta, e decide em geral apenas a favor de uma certa classe social.

Reduzir todo o acontecimento aos atos de quebra-quebra é de uma pobreza lamentável, nem a grande imprensa conseguiu empurrar esta versão. Quando escuto esta conversa de alguém logo penso: "que pobreza de espírito".

A grande mídia também é alvo - o povo sabe de que lado ela sempre esteve.

Percebo um grande preconceito contra os jovens, vindo de todos os conservadores: de esquerda e de direita. Antes eles eram "acomodados", agora são "vândalos" e inconvenientes. Às vezes percebo um ar de ciúmes, como quem diz "eu adoraria ter sua idade" ou "eu fui assim um dia e me tornei isto"...
Uma ex-aluna me encontra (emocionada) na passeata: "Sôr, como é que a gente ia saber de tudo isso, se a gente nunca tinha experimentado?". Um outro publica no Facebook: "Agora entendo o que o professor Elenilton queria dizer com destino". O destino que a gente faz.

Figuras que conheci aos 20, que se diziam "revolucionários" e agora aos 40 se sentem com oitenta e repetem aquele bordão chato e ranzinza: "no meu tempo era melhor".

O nosso tempo é hoje.


[Parafraseando o Paulinho da Viola]


25 junho 2013

Bombas e governos vencidos




Observem com atenção a foto.
As bombas que estão sendo atiradas sobre os manifestantes em Porto Alegre
são vencidas. Provavelmente porque há muito que este tipo de recurso não é utilizado. Mas agora a nova direita (PT) resolveu voltar a estes métodos, já que a chantagem do "golpe" e do "fascismo" não deu certo...

Hoje ouvi um relato sobre um rapaz que foi ao Hospital de Pronto Socorro e foi diagnosticada uma moléstia pulmonar por conta das bombas de gás vencidas.
Parece piada. Mas não é.

A foto é do jornal www.sul21
.com.br



O vídeo abaixo é uma das pequenas gravações que fiz ontem à noite, na passeata. A câmera é bem simples, por isto a qualidade da imagem é baixa.
As explosões ao fundo são obra dos policiais militares, que encontraram a melhor maneira de acabar com manifestações: jogando bomba sobre as pessoas.
Parabéns senhor Tarso Genro. Sua polícia é muito eficiente. Só falta explicar porque não tem a mesma eficiência contra bandidos, saqueadores etc.E ainda vejo petistas compartilhando no Facebook o "mi mi mi" de golpe e fascismo... É pra rir?

video



E o golpe aconteceu mesmo

Tudo o que vocês vão ver hoje na TV sobre vandalismo e quebra-quebra
não faz parte da manifestação de ontem. E é resultado do plano do governo. Eles estimulam a violência, provocam, jogam bombas. Enquanto isto, param a circulação dos ônibus sem necessidade, condenando as pessoas que estão voltando do trabalho (com a intenção de jogá-las contra os movimentos).
O vídeo é bem claro, e inicia exatamente no momento em que a passeata gigantesca não teve mais para onde ir porque foi cercada por homens fortemente armados. Helicópteros sobrevoavam e jogavam luzes, para criar um clima maior de tensão. E explosões por todo lado. Resultado: pânico.
As pessoas diziam "não corram", mas é impossível não correr porque o efeito das bombas de gás é horrível.
Fomos cercados pela polícia de choque na esquina democrática. Não havia vandalismo nenhum. Centenas de bombas da polícia por todos os lados.
Agora também é proibido se manifestar na frente do Palácio Piratini.
Os governos anteriores de direita não chegaram a tanto.
Agora a nova direita, o PT, pega pesado.
O golpe aconteceu mesmo, como previam os petistas.
Mas não tem nada de "comunista", como apregoam uns vídeos ridículos no You Tube. É um golpe do qual eles mesmos fazem parte, bem capitalista e bem orquestrado. Patrocinado por bancos e empreiteiras, e apoiado pela grande mídia.
E hoje, mais uma vez, veremos o Tarso e a RBS fazendo o mesmo discurso.
Não se enganem. Na mídia eles falam em democracia e vão enrolando. Nas ruas é repressão pura, bem parecida com a ditadura militar...inclusive usando a própria polícia militar.



23 junho 2013

"Bobagens, meu filho, bobagens"

E a esquerda oficial segue sua campanha chantagista contra os movimentos sociais. Medo das ruas.
Faz o mesmo que a grande mídia. Até os comentários da RBS já são idênticos aos líderes do PT. Impressionante. Temos que "ler história" para não cairmos em uma "ditadura fascista" prestes a nos engolir como um monstro (ouvi hoje pela manhã na rádio Gaúcha).
Enquanto isto os guardiães da democracia fazem seus negócios em Brasília e nos governos espalhados pelo país. Bem socialista deve ser a Fifa. Bem socialista deve ser Sarney, o ministro Lobão, Collor, Renan Calheiros...e o Lula viajando pelo mundo pago pelas empreiteiras (que nos roubam desde os tempos da ditadura).
Bem socialista é o PP, grande aliado de Dilma, partido que sustentou a ditadura militar no Brasil e se chamava Arena.

O que eles não entenderam ainda é que esta democracia de fachada não nos serve mais. O que as pessoas querem é MAIS democracia. Não é ao acaso que os cartazes que aparecem nas ruas falam em tudo: os "representantes" eleitos não representam, e as pessoas não se sentem ouvidas nem mesmo pela mídia que pensava ter o controle total sobre as mentes.

Vandalismo? Quebra-quebra? Isto demonstra bem que não estamos no país das maravilhas das (milionárias) propagandas governamentais.

Estão com medo dos grupelhos nazistas? Estranho. Até a semana passada diziam que havia uma aprovação de 70% ao governo. Isto quer dizer que essa população toda, feliz e contente com seus líderes, vai se deixar levar por meia dúzia de garotões de cabeça raspada e suásticas tatuadas? Ou por um obscuro "partido militar" que é mais divulgado pelos petistas do que por seus próprios membros?
"Bobagens meu filho, bobagens".

Não estamos em 1964. Os golpes agora são "dentro das normas". E podem até incluir Congressos comprados e apoios negociados a peso de ouro.

Fascismo é botar polícia de choque pra bater em estudante.
Fascismo é a Rota entrando na periferia e atirando a esmo, com balas de verdade.
Eu teria medo de um golpe de direita se a direita já não estivesse no poder.
Se alguém há 20 anos atrás me dissesse que um dia eu veria os partidos de esquerda tentando desmobilizar as pessoas, não levaria a sério.
Agora começamos a sentir o cheiro de mofo de certas bandeiras voltando para as ruas. Só que agora voltam como farsa, como bem anotou o grande filósofo.

Estão subestimando a inteligência das pessoas.

22 junho 2013

Crônicas dos protestos



21 de junho de 2013

A presidente falando em cadeia nacional é uma vitória das ruas. Já é algo.
Ganhos do petróleo para educação, mais médicos, melhor transporte...ótimo. Mas ela precisa ser mais precisa, mais direta. É muito genérico falar em "combater a corrupção". Isto quem pode fazer somos nós, as vítimas. Nós sabemos que somos roubados e gritamos "chega de roubalheira!". Cabe a eles apresentar soluções práticas, explícitas. São pagos para elaborar as leis e fiscalizar sua aplicação.
Isto de "pacto" entre políticos é um papo furado que ela ouviu do Sarney. Já vivemos isto antes e foi uma farsa.
Reforma política? Hum...começamos a falar a mesma língua. Mas que reforma? Sejamos mais exatos. Podemos começar proibindo o financiamento privado das campanhas.
Não venham com cartas de intenções, não cola mais. Ninguém acredita (a não ser a militância chique e bem instalada nos governos).
Reunião com manifestantes? Interessante. Tira-se daí uma pauta básica de projetos envolvendo reforma política, mais investimentos em saúde, educação etc... ela assina e manda pro Congresso. Milhões nas ruas pressionando...

Utópico demais? Ah..."sejamos realistas, peçamos o impossível!".



Aula de cinismo do Tarso Genro. Prometeu respeito, mas mandou polícia atirar primeiro. Vergonhoso. 
Existe sim uma minoria fascista, mas dizer que ela "dominou" as manifestações é típico de quem anda se informando pelo Jornal do Almoço.
A Brigada fez a sua parte a favor desta minoria, deixando livre os caminhos para alguns atos de quebra-quebra e saques. Enquanto a tropa de choque atirava bombas na passeata e protegia o quarteirão sagrado da RBS, vândalos agiam livremente e eram filmados em alta definição por esta mesma empresa.

Agora sei porque o governo não paga o piso para os professores: está gastando muito com as bombas de gás lacrimogênio. 



"Penso que nestes últimos dias a face morta do poder político mostrou a sua cara na queda da máscara do cinismo que até agora nos governou. Um círculo cínico foi rompido por aqueles que, na qualidade de otários, cansaram de um papel que não elegeram para si. A polícia foi e é o retrato da falência do poder, assim com qualquer violência que se antepõe a qualquer diálogo. A imprensa, depois de muitas cirurgias plásticas tenta adequar-se com cuidado ao novo corpo social para não sair perdendo de vez o seu assegurado lugar no círculo cínico da ordem dominante. Renovar a máscara será difícil na era das redes abertas e da democracia sem limites." Marcia Tiburi


20 de junho de 2013

Liguei a TV agora. A RBS filma apenas a polícia, enquanto os comentaristas defendem a empresa e a ação policial de proteger a empresa.
Quando um órgão de comunicação precisa defender assim sua própria importância, alguma coisa realmente está muito errada.
Por que todo este medo com relação a esta empresa? 
Bancos e pequenos comércios não mereceram todo este cuidado esta noite.
A população pobre da periferia nunca recebeu proteção alguma.
Como disse uma colega aqui, "queria que a escola onde trabalho tivesse a mesma segurança que a Zero Hora!".
Este cuidado todo com a RBS mostra dois caminhos ao sr. Tarso Genro: ou aparecerá reeleito nas pesquisas isentas do Ibope, ou será aposentado em 2014 por uma população indignada.
Vamos ver como a Globo/RBS sairá disto tudo. Ela e seus protegidos.




As manifestações pelo Brasil também irão mexer com a imprensa, em todos os sentidos. Eu, pequeno exemplo, há dias que praticamente não me informo pelos grandes meios...dou uma olhada e volto para pesquisar várias outras fontes.
Se tivéssemos governos republicanos e democráticos, há muito já teria sido quebrado este monopólio absurdo das comunicações no Brasil.
Os governos gastam mais com publicidade do que com cultura e assistência social.

Façamos a nossa própria comunicação.





O vandalismo das ruas é o resultado lógico do vandalismo do sistema.
Estas autoridades que aparecem cagonas na TV são as produtoras deste vandalismo. 
Quando a lógica do sistema (político, judicial) é o "não dá nada", o que pensa o homem comum? "Se não tem punição, então eu também vou fazer".

Prefeito de Porto Alegre triplicou número de CCs. Destruiu áreas verdes e tudo mais para as tais obras da Copa. Roubalheira nas secretarias.
Governo do Rio Grande do Sul mantém partidos em cargos onde foram pegos vendendo licenças ambientais.´
Professores ganhando miséria. Hospitais aos cacos.
Polícia tratando periferia como lixo.
Dilma mantém como aliados Collor, Sarney, Calheiros. Felicianos apoiam o governo.
Juízes vão ganhar 100 milhões de auxílio-moradia.
7 bilhões para construir estádios e emergências hospitalares lotadas.
Mulheres são estupradas em plena luz do dia dentro do transporte público no Rio.
Roubalheira na Bahia, em São Paulo, em todo lugar. Violência no Pará.
Índios esquecidos e expulsos de suas terras. Grandes fazendeiros protegidos e bem financiados...
E ALGUÉM AINDA SE ESPANTA QUE TENTEM INVADIR OS PALÁCIOS?
Os confrontos que estouram em várias partes são resultado da ação destes bundões lacaios que agora estão tremendo com medo de perder seu espaço de poder. Isto vale para PT, PMDB, PSDB, Dem, PP, PCdoB....e toda essa turma.
Isto quer dizer que somos golpistas? Ao contrário.
QUEREMOS DEMOCRACIA DE VERDADE. Golpe é eleger testa de ferro de multinacional se fazendo de líder de esquerda. Ou ladrão de direita se fazendo de exemplo da moral e bons costumes.
É preciso desenhar para que eles entendam? Este sistema representativo não representa mais ninguém, a não ser os interesses deles.

Um povo acostumado à manipulação e ao roubo vai se manifestar assim.
O Brasil está mostrando a sua cara, como pediu o Cazuza.




"O que falta é cultura pra cuspir na estrutura". Raul Seixas

19 de junho de 2013

MARCO FELICIANO DIZ QUE MARIA DO ROSÁRIO DEVE TOMAR CUIDADO COM O QUE DIZ, POIS 2014 É ANO DE ELEIÇÃO
Esta é uma notícia que diz muito sobre o Brasil oficial, lá dos palácios, e que talvez ajude a explicar (para quem ainda não entendeu) os por quês de tanta indignação...
Eles querem acalmar o povo baixando o preço do transporte, mas há muuuito mais a avançar e exigir. Uma reforma política já é um início...



Tarifas baixando em todo país. E governos com medinho, tadinhos. Acho que vou chorar por eles.

Deixem este "mi mi mi" do "apoio, mas..." para a grande mídia.
A RBS já faz isto muito bem, ninguém precisa ficar repetindo.




18 de junho de 2013

"Escolha o seu cartaz preferido e compartilhe", diz a RBS na tentativa de esvaziar o conteúdo político dos protestos.
A capa da Zero Hora de hoje é um bom exemplo. Não há multidões.
É fácil perceber aqui no Facebook quem fica ligadinho só neste meio RBS/ZH.

O medo da Globo/RBS é a popularização cada vez maior da crítica aos grandes meios de comunicação (que sempre estiveram contra a população).
Um dos pontos de luta dos movimentos é o fim do monopólio da comunicação no Brasil. Não vai haver democracia enquanto meia dúzia de famílias controlar o acesso do povo às notícias.
Para proteger a RBS de uma possibilidade de depredação, o governo do RS mandou proteger ontem o prédio da Zero Hora...ninguém pode mexer com quem realmente manda.

Para quem não lembra, a RBS esteve ao lado da ditadura militar, apoiou a implantação dos pedágios, sempre foi contra movimentos sociais (inclusive dos professores, sempre jogando a população contra) e manipulou pesquisas e informações a favor de seus candidatos etc etc etc.
Fortunati é um exemplo. Prefeito fraquíssimo de uma administração mergulhada em roubalheira, que agora anuncia diminuição das passagens de ônibus porque está com medo de cair.



Pinga fogo:

A prefeitura de Porto Alegre estima gastar 1 milhão de reais com os ônibus e lixeiras queimadas. O ano passado os empresários de ônibus lucraram 71 milhões de reais a mais com o preço abusivo da passagem. Devolvam os 71 milhões que nos são de direito: ficamos com um lucro de 70 milhões.
Moral da história: ganhamos!




Alguns amigos queridos, que são filiados ao PT, me mandam mensagens discordando de minha postura e imaginando algum "complô" golpista ou algo assim. 
Penso que é mais um exemplo de quanto o partido há muito tempo está distanciado da realidade, do mundo real.
Para não ficar num debate eterno (que nem me interessa), reproduzo uma fala da própria presidente Dilma...que entendeu muito bem o que aconteceu ontem:

"Os que foram ontem às ruas deram mensagem direta ao conjunto da sociedade, sobretudo aos governantes de todas as instâncias. Essa mensagem é por mais cidadania, melhores escolas, melhores hospitais, direito a participação. Essa mensagem direta das ruas mostra a exigência de transporte público de qualidade e a preço justo, essa mensagem direta das ruas é pelo direito de influir nas decisões de todos os governos, do Legislativo e do Judiciário, é de repudio à corrupção e de uso indevido do dinheiro público", disse a presidente..



"As críticas ao vandalismo dos manifestantes são uma maneira de esconder o vandalismo do aumento das passagens, a violência das polícias e a imoralidade das transferências de recursos públicos para empreiteiras e empresários. A presidente Dilma foi vaiada em Brasília por ser conivente com isso. A direita acha que é saudade dos tucanos. Está enganada. Os indignados querem andar para frente." Juremir Machado da Silva


17 de junho de 2013

Do meu amigo Vandoir:

"Estão ocorrendo muitos assaltos no meu bairro. Se eu fizer um protesto será que a polícia aparece por aqui?"

Boa!!

(mas pensando bem...talvez não, é possível que eles prendam quem estiver protestando...)



"hj eu entendo o q o sor Elenilton Neukamp fala sobre destino", Walker (ex-aluno)


Ontem era "baderna", ordem e desordem.
Que lindinho. Hoje todos estão apoiando os manifestantes:
o Alckmin fascista, a Dilma conservadora, o Lula das empreiteiras...
Quer saber a verdade?
Estão todos indo dormir com o ... na mão. 

Há 100 mil pessoas em todo lugar. E em Brasília as pessoas estão
mandando o Sarney tomar no cu. 

Bem-vindos ao século XXI. Demorou, mas o Brasil começa a sair do século passado.
Será bom, ruim, revolução, retrocesso?
Isto depende da nossa ação.

As velhas categorias não vão saber explicar o que se passa.
Novos movimentos surgiram. Ninguém tem o controle - ainda bem!




A grande mídia agora ficou tonta. Folha fala em 65 mil pessoas em SP, Estadão em 30 mil.
Eles, como de resto todo mundo, não sabem muito bem o que está por vir.
Mas não há por que temer, as pessoas querem mais democracia.
Ninguém está na rua querendo voltar ao passado. Ao contrário.
As coisas estão mais claras agora. Quem tem medo de luz é mofo.



16 de junho de 2013

Comentário sobre vídeo postado no Facebook, que mostra violência policial em protesto:
Vídeo para as pessoas que nunca participaram de manifestações,
e acreditam na versão midiática de que a polícia "reage".
As pessoas cantam o hino nacional e a polícia responde com bombas.
Isto é o Brasil do PT, PMDB, PSDB. Das elites.
Estes grandes partidos poderiam ser mais sinceros e se unir em 2014,
já que representam os mesmos interesses dos mesmos grandes grupos econômicos que nos dominam...
Nos poupariam de seus falsos debates.


Janio de Freitas, como sempre das poucas exceções gloriosas, na coluna de hoje: "É no mínimo indecente que ainda hoje, sob o que consideramos regime democrático, chamemos os gases lacrimogêneo e de pimenta, os revólveres de choque e os tiros de borracha de armas de efeito moral. Denominação adotada pelos regimes de opressão policial-militar."
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/janiodefreitas/2013/06/1295807-efeitos-imorais.shtml



Muito legal o que diz esta garota [em vídeo postado em meu perfil no Facebook].
Lembro dos meus 16 anos. 
Seguimos lutando por uma democracia que ainda não conhecemos.
Estou com ela. 
E deixemos os bunda-moles e seu "mi mi mi" conservador.



Parece piada, mas é uma notícia:
Governo de São Paulo libera vinagre...
As pessoas não serão mais presas por portarem vinagre nas manifestações.
Impressionante o bando que nos governa.



Reescrevo em letras grandes o que disse o Marcos Rolim:
"OS JOVENS QUE ESTÃO NA RUA TÊM MUITO MAIS AMOR AO BRASIL E MUITO MAIS CORAGEM DO QUE A MAIORIA DOS QUE NOS GOVERNAM."
E assino embaixo.



Outra polícia é possível. Existe inteligência no país.
Contrariando a própria Justiça de Minas, polícia militar não reprime manifestantes e até abre o caminho para eles...




15 de junho de 2013

Esse é o "xis" da questão. 
Milhões (ou bilhões) em dinheiro público que poderiam estar sendo utilizados para outros fins muito mais importantes e urgentes.
Quem mora em Porto Alegre e já encarou emergência de hospital sabe do que estou falando. 
Quantos hospitais poderiam ser construídos?
Pena que a escolha do povo foi outra, consciente ou não disto...



13 de junho de 2013




Uma polícia que joga spray de pimenta em quem tenta filmar sua ação
está fazendo qualquer coisa, menos proteger a sociedade.
Não é ao acaso que São Paulo está na mão do crime.
O mesmo acontece no Rio Grande do Sul, onde a polícia é muito eficiente para combater todos...menos os criminosos.
Bandidos à solta e polícia batendo em estudantes.
Aí as pessoas respondem, atiram pedras, fazem barricadas...e o que sai nos jornais? "Vandalismo".
Vandalismo é esta polícia aí, que não saiu ainda da ditadura.



06 de junho de 2013
Hoje ouvi na Fm Cultura que há no RS 9 mil mulheres (!) dentro das chamadas medidas protetivas. Ameaçadas pelos ex-maridos, namorados etc. Hoje mais uma delas morreu. Foram várias nos últimos dias, neste estado provinciano e atrasado em que vivemos (onde o machismo é tratado como "virtude").
Estas pessoas, vítimas, vivem sob o signo do medo.
Elas precisam de proteção legal, amparo, segurança para suas vidas e a vida de seus filhos. Faltam políticas e ações efetivas que as protejam.
Enquanto elas com medo esperam proteção, o governo do estado envia a polícia para "dar segurança" às manifestações sociais.
Ontem havia uns 20 brigadianos, com seus respectivos cavalos, postados ao lado da manifestação dos funcionários municipais de Porto Alegre. E até um helicóptero apareceu para infernizar a vida das pessoas. Que perigo representamos nós para a sociedade? O prefeito de Porto Alegre precisa temer o Ministério Público, a Polícia Federal, e não professores e demais funcionários.
Gostaria de ver helicóptero atrás de bandidos, não de manifestantes.
Gostaria de ver polícia protegendo mulheres ameaçadas, e não bancos ameaçados nem grandes clubes de futebol que poderiam muito bem pagar sua segurança.
Todo este dinheiro gasto para reprimir os movimentos sociais poderia estar sendo usado para proteger a vida das pessoas. O caso das mulheres vítimas de agressão é, para mim, um exemplo gritante.
Se o Tarso Genro (leia-se PT) ainda pretende ser levado a sério como um governante de "esquerda", deveria vir à público esclarecer o que está acontecendo.
De que lado vocês estão afinal? Desconfio da resposta, mas gostaria de ouvi-la da boca dos nossos governantes. Já está ficando nojento isto de colocar bonezinho vermelho de dia, e mandar a polícia agir na calada da noite contra as pessoas.











Globo, esquerda, direita


20 junho 2013

Dos muitos vandalismos

O vandalismo das ruas é o resultado lógico do vandalismo do sistema.
Estas autoridades que aparecem cagonas na TV são as produtoras deste vandalismo. 
Quando a lógica do sistema (político, judicial) é o "não dá nada", o que pensa o homem comum? "Se não tem punição, então eu também vou fazer".

Prefeito de Porto Alegre triplicou número de CCs. Destruiu áreas verdes e tudo mais para as tais obras da Copa. Roubalheira nas secretarias.
Governo do Rio Grande do Sul mantém partidos em cargos onde foram pegos vendendo licenças ambientais.´
Professores ganhando miséria. Hospitais aos cacos.
Polícia tratando periferia como lixo.
Dilma mantém como aliados Collor, Sarney, Calheiros. Felicianos apoiam o governo.
Juízes vão ganhar 100 milhões de auxílio-moradia.
7 bilhões para construir estádios e emergências hospitalares lotadas.
Mulheres são estupradas em plena luz do dia dentro do transporte público no Rio.
Roubalheira na Bahia, em São Paulo, em todo lugar. Violência no Pará.
Índios esquecidos e expulsos de suas terras. Grandes fazendeiros protegidos e bem financiados...
E ALGUÉM AINDA SE ESPANTA QUE TENTEM INVADIR OS PALÁCIOS?
Os confrontos que estouram em várias partes são resultado da ação destes bundões lacaios que agora estão tremendo com medo de perder seu espaço de poder. Isto vale para PT, PMDB, PSDB, Dem, PP, PCdoB....e toda essa turma.
Isto quer dizer que somos golpistas? Ao contrário.
QUEREMOS DEMOCRACIA DE VERDADE. Golpe é eleger testa de ferro de multinacional se fazendo de líder de esquerda. Ou ladrão de direita se fazendo de exemplo da moral e bons costumes.
É preciso desenhar para que eles entendam? Este sistema representativo não representa mais ninguém, a não ser os interesses deles.

Um povo acostumado à manipulação e ao roubo vai se manifestar assim.
O Brasil está mostrando a sua cara, como pediu o Cazuza.

17 junho 2013

E o Brasil foi pra rua protestar!

Ontem era "baderna", ordem e desordem.
Que lindinho. Hoje todos estão apoiando os manifestantes:
o Alckmin fascista, a Dilma conservadora, o Lula das empreiteiras...
Quer saber a verdade?
Estão todos indo dormir com o ... na mão.

Há 100 mil pessoas em todo lugar. E em Brasília as pessoas estão
mandando o Sarney tomar no cu.

Bem-vindos ao século XXI. Demorou, mas o Brasil começa a sair do século passado.
Será bom, ruim, revolução, retrocesso?
Isto depende da nossa ação.

As velhas categorias não vão saber explicar o que se passa.
Novos movimentos surgiram. Ninguém tem o controle - ainda bem!

16 junho 2013

Efeitos imorais (Jânio de Freitas)

Já na passeata de terça-feira, alguém levava um cartaz bem visível para os PMs e mostrado várias vezes na TV: "Bala de borracha cega". Não era novidade para os soldados, era um lembrete. Não só para os soldados. Também para os meios de comunicação, dos quais, que me conste, nenhum fez alguma advertência contra o uso dessa arma. E cartaz dirigido também ao governador Geraldo Alckmin.
Um caso, entre tantos. Por um centímetro ou apenas milímetros, a repórter Giuliana Vallone, que não estava nas ruas como manifestante na quinta-feira, não perdeu um olho ao ser atingida por bala de borracha. Isso, no mínimo. Se uma dessas "balas não letais" atingir o flácido globo ocular, perfura-o e o cérebro está ao seu alcance. O resultado provável é a morte. Outras partes do corpo são também vulneráveis e tornam a vida vulnerável às balas de borracha. Agora mesmo um torcedor morreu, na Argentina, atingido por bala de borracha.
Qual é a finalidade dessa arma? É ferir, com todos os riscos de consequências além disso. Armas para afugentar, dispersar, conter à distância, sem o contato corpo a corpo do cassetete, são as bomba de gás lacrimogêneo e de gás de pimenta.
Em razão do seu cargo, o governador Geraldo Alckmin é o responsável pelo uso das balas de borracha e pelos riscos que impõem à integridade e até à vida de civis desarmados. Ainda que nem sejam participantes de atos vistos pelo governador como hostis ao seu governo.
Mas Geraldo Alckmin não é só governador. É médico. Tem ciência plena do que armas como as balas de borracha podem causar. E como médico tem o dever e o compromisso de servir à integridade e à vida de todo ser humano. É sua, no entanto, a responsabilidade pelo porte, pela autorização de uso e, portanto, pelas consequências das armas tão perigosas. Na linguagem convencionada, a sua é a posição de mandante do que quer que ocorra. E do que tenha ocorrido e venha a ocorrer às vítimas dos tiros com balas de borracha.
É no mínimo indecente que ainda hoje, sob o que consideramos regime democrático, chamemos os gases lacrimogêneo e de pimenta, os revólveres de choque e os tiros de borracha de armas de efeito moral. Denominação adotada pelos regimes de opressão policial-militar.
A volta de manifestações na semana entrante é mais provável do que uma solução para os protestos. Perspectiva idêntica fez aparecer na manhã de quinta-feira, nesta coluna, um trecho assim: "Quem lhes dá [aos oportunistas da arruaça] a oportunidade é sempre a polícia. As bombas de gás, os tiros, os cassetetes incitam as respostas desafiadoras: é a hora dos arruaceiros". À noite isso se confirmava, com reconhecimento até dos que afirmavam o oposto. É o que tende a ser visto outra vez, se as ordens dos mandantes da violência inicial não as retirarem. Ou até que haja morte. Com decorrências imprevisíveis.
O vídeo, posto na internet, do soldado quebrando vidros de um carro da PM, pode ficar como símbolo fiel dos acontecimentos em que um médico autoriza e avaliza o uso de armas perigosas contra pessoas em manifestação pacífica, a PM é que incita a desordem, e tudo é imoral nesses efeitos morais ao estilo das ditaduras, disfarçadas ou não.


Jânio de Freitas  (Folha de São Paulo, 16/06/2013)

[ótimo texto, lúcido, e totalmente em desacordo com a linha editorial da Folha - jornalão conservador e pró-governo paulista]